• Doe agora

    08 de Julho, 2020

    Sociedade Brasileira de Cientistas Católicos celebra o Dia Nacional da Ciência  

    Em nota sobre a Covid-19, a SBCC propõe aos pesquisadores católicos que priorizem soluções, tendo em conta o valor inegociável da vida humana.

     

    Com pouco mais de um ano de sua fundação, a Sociedade Brasileira de Cientistas Católicos (SBCC), da qual o Setor Universidades da Comissão Episcopal Pastoral para Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) faz parte, tem muito a celebrar neste 8 de julho, data em que é comemorado o Dia Nacional da Ciência e o Dia Nacional do Pesquisador, principalmente, neste tempo em que o mundo vive em meio à pandemia da Covid-19.

     

    A SBCC reflete, à luz da Doutrina Social da Igreja, a responsabilidade moral e social das ciências e propõe o conceito do Humanismo Solidário como paradigma de elaboração do pensamento científico contemporâneo, incentivando práticas de pesquisa, ensino e extensão que considerem o valor da dignidade humana e o bem comum.

     

    O professor do CEFET-MG e presidente da Sociedade Brasileira dos Cientistas Católicos, Everthon Oliveira, falou ao portal da CNBB neste dia dedicado à ciência. Para ele, embora o objetivo primordial da ciência seja a busca por conhecimento, os seus frutos afetam de tal modo a sociedade que é preciso avaliar o conjunto de valores a que estão associados a produção, o uso e a disseminação desse conhecimento. “Algumas pessoas, quando sua visão de sociedade é afetada por tais descobertas, buscam como alternativa a relativização ou mesmo a negação da ciência. Portanto, a comunicação científica efetiva, o diálogo entre ciência e fé, e a participação no debate político são habilidades necessárias ao pesquisador moderno”, ressalta.

     

    O assessor da Comissão Pastoral para Cultura e Educação CNBB, padre Danilo Pinto, explica que o trabalho da comissão com os mestres e doutores é promover a prática cientifica a partir do humanismo cristão ou solidário. “Tentamos incentivar que as práticas científicas adotem como critério a promoção e a reflexão da pessoa humana a luz da fé cristã. É neste sentido que a comissão, através dos seus colaboradores mestres e doutores, desenvolve e estimula a sua pratica cientifica. Sempre nesse esforço de promover o diálogo entre fé e razão e, também assim, tendo o compromisso de difundir o humanismo solidário, cristão e a mensagem evangélica nos ambientes de pesquisa, ensino e extensão pra que os cientistas possam assumir critérios de promoção de reflexão da pessoa humana a luz da fé”, diz o padre.

     

    Dois meses antes de completar um ano de existência, a SBCC emitiu nota a respeito da Covid-19 propondo aos pesquisadores católicos que priorizem soluções para os problemas mais relevantes, tendo em conta o valor inegociável da vida humana, e que busquem ações econômicas e de organização social baseadas em um humanismo solidário. “Em tempo, conclamamos esses profissionais a que assumam, com profunda solidariedade e colaboração, suas funções tão necessárias nesse momento crítico em que vivemos. Pedimos a todos os irmãos para que rezem por esses profissionais e que nos unamos a Cristo para sermos sinais de esperança”, diz um trecho da nota.

     

    Neste dia 08 de julho, uma outra instituição ligada à ciência completa 72 anos de fundação – a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Criada em 1948, a SBPC celebra esta data com diversas atividades online. Este ano, a temática trata do tema “Os caminhos da ciência para a redução das desigualdades”. Os eventos serão transmitidos no canal do Youtube da SBPC.


    Fonte: Amex, com CNBB