• Doe agora

    03 de Agosto, 2020

    Francisco: o perdão de Deus gera paraíso. E faz apelo pelo trabalho

    O Papa coloca a importância dirigir ao centro o perdão de Deus e pediu às instituições políticas e econômicas que relancem o trabalho para ajudar as famílias e a sociedade.

    A Solenidade do Perdão de Assis, celebrada neste domingo, 02, esteve nas palavras do Papa nas saudações do pós-Angelus, quando recordou que, ao longo do dia, os fiéis puderam receber a indulgência plenária, a absolvição por seus pecados, "o dom espiritual que São Francisco obteve de Deus por intercessão da Virgem Maria":

    “Trata-se de uma indulgência plenária que pode ser recebida aproximando-se dos Sacramentos da Confissão e da Eucaristia e visitando uma igreja paroquial ou franciscana, recitando o Credo, o Pai Nosso e rezando pelo Papa e pelas suas intenções. A indulgência também pode ser destinada a uma pessoa falecida. Como é importante colocar ao centro o perdão de Deus, que "gera paraíso" em nós e ao nosso redor! Este perdão que vem do coração de Deus é misericordioso".

     

    Apelo pelo trabalho

    Na recitação do Angelus, Francisco dirigiu-se aos presentes, romanos, peregrinos e a todas as pessoas através dos meios de comunicação, desejando-lhes de transcorrer um período de férias marcado pela natureza e espiritualidade, lançando, ao mesmo tempo, um apelo às instituições para que não se esqueçam de preservar os empregos: 

     

    “Espero que durante este período muitos possam viver alguns dias de descanso e contato com a natureza, nos quais possam recarregar também sua dimensão espiritual. Ao mesmo tempo, faço votos de que, com os esforços convergentes de todos os líderes políticos e econômicos, o trabalho seja relançado: sem trabalho, as famílias e a sociedade não podem ir avante. Rezemos por isso, porque é e será um problema do pós-pandemia, a pobreza e falta de trabalho e é preciso muita solidariedade e muita criatividade para resolver este problema”.

     


    Fonte: Amex, com Vatican News